Exercicios de economia e mercado

Created by f4r3j4d0r 

Upgrade to
remove ads

Exercicios de economia e mercado tiago

Ana e Beto decidiram abrir uma academia em um dos seus imóveis em vez de alugá-lo para uma empresa. Essa escolha significou renunciar às outras opções para a realização desse propósito. O sacrifício do que se deixou de produzir, ou seja, o custo ou a perda do que não foi escolhido chama-se:

Custo de oportunidade ou custo alternativo.
Comentário: quando decidem gastar ou produzir, empresas, governos ou famílias estarão renunciando a outras possibilidades. A opção de abandonar para poder produzir ou obter outra se associa ao conceito de custo de oportunidade. O custo de oportunidade de um bem ou serviço é a quantidade de outros bens ou serviços a que se deve renunciar para obtê-lo. Assim, o custo de oportunidade é o sacrifício do que se deixou de produzir, o custo ou a perda do que não foi escolhido, e não o ganho do que foi escolhido. O custo de oportunidade também é chamado custo alternativo, por representar o custo da produção alternativa sacrificada.

Analise os itens e assinale a alternativa correta:

I- A sociedade de mercado é ineficiente no tratamento dos bens públicos e das questões sociais, como as relacionadas com a repartição da renda e a deterioração do meio ambiente.

II- A função da economia é unicamente enfrentar crises financeiras e de outra ordem com muita frequência.

III- A propriedade privada dos fatores de produção, a livre alocação de recursos e a possibilidade de geração de rendas constituem o cerne de uma economia de mercado.

IV- O desempenho da economia de mercado é imune aos comportamentos exacerbados e, como tal, não requer vigilância e controle pelos órgãos responsáveis.

As afirmações I e III são verdadeiras.

Esses bens permitem o uso por um tempo maior, não sendo destruídos de imediato, como é o caso dos eletrodomésticos, automóveis etc. São muito importantes para o desenvolvimento da economia, já que se valem dos produtos intermediários, máquinas, fornecimentos de terceiros e um grande número de pessoas, ocupadas direta ou indiretamente, cujas rendas serão utilizadas no consumo de outros bens econômicos. O texto se refere a que tipo de bem?

Bens de consumo duráveis
Comentário: bens de consumo duráveis permitem o uso por um tempo maior, não sendo destruídos de imediato, como é o caso dos eletrodomésticos, automóveis etc. São muito importantes para o desenvolvimento da economia, já que se valem de produtos intermediários, máquinas, fornecimentos de terceiros e um grande número de pessoas, ocupadas direta ou indiretamente, cujas rendas serão utilizadas no consumo de outros bens econômicos.

Estuda(am) os aspectos e as influências sobre a atuação das unidades econômicas individuais, como as pessoas (famílias), as empresas, o governo e mesmo os agentes não residentes. Qual é o foco fundamental do presente texto?

Microeconomia
Comentário: microeconomia estuda os aspectos e as influências sobre a atuação das unidades econômicas individuais, como as pessoas (famílias), as empresas, o governo e mesmo os agentes não residentes. Esse é o foco fundamental do presente texto.

Expressa(am) a posição do homem em relação às coisas e às forças da natureza utilizadas para a criação dos bens materiais:

Forças produtivas
Comentário: forças produtivas expressam a posição do homem em relação às coisas e às forças da natureza utilizadas para a criação dos bens materiais.

Leia o texto a seguir e verifique sua denominação econômica:

Quando houver deslocamento físico do bem, pode ser definido pelo fornecimento de recursos de produção, do uso desses recursos e de sua combinação na produção de bens e serviços intermediários e finais. Há emprego efetivo de fatores produtivos e dos produtos gerados. Há troca material de recursos produtivos e de bens e serviços. Engloba o mercado de recursos de produção e o mercado de bens e serviços.

Fluxo real da economia ou circulação real.
Comentário: fluxo real da economia ou circulação real é quando houver deslocamento físico do bem; pode ser definido pelo fornecimento de recursos de produção, pelo uso desses recursos e por sua combinação na produção de bens e serviços intermediários e finais. Há emprego efetivo de fatores produtivos e dos produtos gerados. Há troca material de recursos produtivos e de bens e serviços.

Para obter a solução do problema fundamental econômico, a sociedade busca adotar várias alternativas. Esse fato vem se repetindo ao longo da história até a época atual. As resoluções adotadas são chamadas de:

Modos de produção.
Comentário: denominam-se modos de produção as variadas alternativas adotadas pelas sociedades econômicas para a solução de seus problemas até chegarmos à época atual.

Tem(Têm) a sua preocupação voltada para a mensuração dos agregados econômicos, tais como consumo, poupança, investimento e produto total gerados pela sociedade em um determinado período de tempo. Qual é o foco fundamental do presente texto?

Macroeconomia.
Comentário: macroeconomia tem a sua preocupação voltada para a mensuração dos agregados econômicos, tais como consumo, poupança, investimento e produto total gerados pela sociedade em um determinado período de tempo.

É uma inverdade afirmar que:

I- A disciplina Economia objetiva apresentar as relações econômicas que norteiam as decisões dos agentes econômicos (pessoas residentes ou não no país, empresas e governo).

II - O "problema econômico" é representado pelo confronto entre as necessidades dos agentes e a capacidade da economia em atendê-las.

III - Há recursos escassos em qualquer que seja o nível de riqueza da sociedade.

IV - A economia se organiza para resolver as questões básicas de produção, circulação e designação de quem terá direito aos diferentes bens e serviços.

V - Somente as atividades comerciais determinam o crescimento econômico.

Resposta Correta: V

Comentário: é uma inverdade afirmar que somente as atividades comerciais estão relacionadas com os lucros das operações e a concessão de maior liberdade às atividades comerciais e, posteriormente, industriais, determinaram o crescimento econômico de várias nações.

É verdadeiro afirmar que:

Economia e política são fortemente inter-relacionadas.
Aspectos religiosos determinam a conduta do indivíduo, mas isso não afeta a economia.
Decisões e fatos econômicos não conduzem as mudanças na estrutura política das nações.
A matemática e a estatística não têm aplicação nos modelos de trabalho e na análise dos fenômenos.
Conceitos econômicos não se relacionam com os estudos em física e biologia.

Resposta Correta: a. I
Comentário: conceitos econômicos originaram-se de estudos em física e biologia. Os primeiros pensadores econômicos foram, igualmente, bastante influenciados pela filosofia, pela moral e pela justiça. Aspectos religiosos também determinavam certas condutas dos indivíduos. A matemática e a estatística auxiliam na constituição de modelos de trabalho para uma melhor análise dos fenômenos econômicos. Economia e política são fortemente inter-relacionadas. Com a segunda, temos as instituições sobre as quais serão desenvolvidas as atividades econômicas. Decisões e fatos econômicos, porém, conduzem as mudanças na estrutura política das nações.

A consolidação da industrialização (e, com ela, a acentuação das diferenças entre as nações ricas e pobres) trouxe consigo também o aprofundamento das diferenças no interior dos próprios países desenvolvidos, tornando saliente o desnível do desenvolvimento entre regiões e classes sociais. Surgiu, então, a necessidade de dar maior ênfase ao desenvolvimento econômico. Nesse contexto histórico, em 1911, Joseph Schumpeter publica sua teoria. Qual era o tema principal dessa teoria?

Joseph Schumpeter publicou a teoria do desenvolvimento econômico, estabelecendo pela primeira vez a diferença entre crescimento e desenvolvimento econômico.

Comentário: a consolidação da industrialização (e, com ela, a acentuação das diferenças entre as nações ricas e pobres) trouxe consigo também o aprofundamento das diferenças no interior dos próprios países desenvolvidos, tornando saliente o desnível do desenvolvimento entre regiões e classes sociais. Surgiu, então, a necessidade de dar maior ênfase ao desenvolvimento econômico. Em 1911, Joseph Schumpeter publicou a sua "Teoria do desenvolvimento econômico", estabelecendo pela primeira vez a diferença entre crescimento e desenvolvimento econômico.

A existência de um conjunto de insuficiências em relação às economias desenvolvidas determina as características das economias subdesenvolvidas. Leia as alternativas a seguir e assinale as que correspondem aos elementos que condicionam o subdesenvolvimento:

I. Crescimento do bem-estar econômico. Fatores econômicos estratégicos para o desenvolvimento.

II. Baixa produção de alimentos e calorias per capita e esperança de vida ao nascer.

III. Ampliação da economia de mercado.

IV. Elevada taxa de analfabetismo e mortalidade infantil. Empresas nacionais com baixos níveis de competitividade nos mercados internacionais.

V. Diminuição dos níveis de pobreza, desemprego e desigualdade.

VI. Melhoria nas condições de saúde, nutrição, educação, moradia e transporte.

VII. Elevadas taxas de desemprego e criminalidade.

VIII. Aperfeiçoamentos institucionais.

IX. Economia informal significativa e insuficiência de gastos públicos na área social.

X. Baixa produtividade, crescimento econômico concentrado (concentração da propriedade e da riqueza e expansão das favelas).

As afirmações II, IV, VII, IX e X estão corretas.

Comentário:

• Baixo consumo de calorias per capita.

• Baixa produção de alimentos per capita.

• Baixa esperança de vida ao nascer.

• Elevada taxa de analfabetismo.

• Elevada mortalidade infantil.

• Elevadas taxas de desemprego.

• Criminalidade elevada.

• Economia informal significativa.

• Insuficiência de gastos públicos na área social.

• Baixa produtividade.

• Crescimento econômico concentrado.

• Concentração da propriedade e da riqueza.

• Expansão das favelas.

• Empresas nacionais com baixos níveis de competitividade nos mercados internacionais.

A principal característica do modelo de substituição de importações é:

Alto grau de concentração de renda

Comentário: as principais características do modelo de substituição de importações são:

• Tendência ao desequilíbrio das contas externas.

• Aumento da participação do Estado na economia, seja na geração de infraestrutura básica, seja no fornecimento de insumos básicos, seja na captação e na distribuição de poupança.

• Aumento do grau de concentração de renda.

• Êxodo rural intenso.

• Escassez de fontes de financiamento ao desenvolvimento, seja pela inexistência de um sistema financeiro desenvolvido, seja pela precariedade do sistema tributário nacional.

Algumas economias crescem a taxas mais elevadas do que outras. Embora seja bastante complexa a definição das causas do crescimento econômico, visto que isso depende das peculiaridades de cada país e de seus processos históricos, existem algumas razões básicas que determinam o crescimento da sociedade. Em relação ao crescimento econômico, leia e analise as justificativas e escolha a alternativa falsa:

O aumento de produtividade ineficiente.

Comentário: algumas economias crescem a taxas mais elevadas do que outras. Embora seja bastante complexa a definição das causas do crescimento econômico, visto que isso depende das peculiaridades de cada país e de seus processos históricos, existem algumas razões básicas que determinam o crescimento da sociedade. São elas:

• A acumulação de capital por meio do aumento de máquinas, indústrias, obras de infraestrutura, estradas, energia e melhor preparação de mão de obra.

• A disponibilidade de recursos produtivos (ampliação da mão de obra e outros insumos).

• O aumento de produtividade (melhoria na qualidade da mão de obra, melhoria tecnológica e eficiência organizacional na combinação de insumos).

• A atitude da sociedade em relação à poupança.

• O crescimento da população implica um aumento da força de trabalho e da demanda interna.

Durante a era Vargas houve a tentativa de implantar um departamento produtor de bens de produção e de bens intermediários que enfrentou as dificuldades políticas típicas de um projeto nacionalista. O desfecho desse processo foi uma crise política que culminou com o suicídio de Vargas e a morte de um projeto nacional que nem mesmo chegou a ser implantado. Com o suicídio de Vargas, quem assume o governo e qual sua principal ação?

Café Filho que implantou uma política econômica ortodoxa, com prioridade para as políticas anti-inflacionárias baseadas no controle da moeda. A principal ação do governo foi a instrução 113 da Sumoc, que permitia às empresas estrangeiras instaladas no país importar máquinas e equipamentos sem cobertura cambial.

Comentário: a tentativa de Vargas de implantar um departamento produtor de bens de produção e de bens intermediários enfrentou as dificuldades políticas típicas de um projeto nacionalista. O desfecho desse processo foi uma crise política que culminou com o suicídio de Vargas e a morte de um projeto nacional que nem mesmo chegou a ser implantado. Com seu suicídio assume Café Filho, que implanta uma política econômica ortodoxa, com prioridade para as políticas anti-inflacionárias baseadas no controle da moeda. A principal ação do governo foi a instrução 113 da Sumoc, que permitia às empresas estrangeiras instaladas no país importar máquinas e equipamentos sem cobertura cambial.

No século XVIII surgiram algumas escolas de pensamento econômico preocupadas com o crescimento econômico e distribuição da riqueza. Em 1776, em sua obra "A riqueza das nações", um pesquisador procurou identificar as razões que determinam o crescimento da riqueza nacional de um país, tentando explicar como opera o mercado e qual a importância do aumento do tamanho dos mercados para reduzir os custos médios de produção e permitir uma produção lucrativa. Ele afirmava que o aumento dos mercados amplia a renda e o emprego. Esse texto se refere ao precursor da economia:

Adam Smith.
Comentário: o aumento da proporção dos trabalhadores produtivos em relação aos trabalhadores improdutivos, a redução do desemprego e a elevação da renda média da população constituiriam um processo de desenvolvimento econômico para Smith. Haveria, portanto, uma redistribuição de renda entre capitalistas, trabalhadores e arrendatários.

O conjunto de contradições se manifestou na queda do ritmo do crescimento industrial a partir de 1962, configurando a primeira crise econômica brasileira motivada por entraves internos. Até então, todas as crises tinham tido origem externa. A economia brasileira sofreu uma desaceleração que perdurou até 1967. No que concerne ao período militar, é falso afirmar sobre as razões enumeradas para a crise econômica:
I. Começo do ciclo de crescimento. Só na indústria automobilística, a capacidade de produção chegou a 50%.

II. Setor de bens duráveis crescia menos do que a demanda.

III. As limitações de financiamentos a longo prazo traziam restrições para a demanda.

IV. Crise cambial que foi agravada pela forte dependência externa.

V. Tratou-se efetivamente de uma crise cíclica, agravada pelo aumento da instabilidade política e das políticas de estabilização recessivas, somando-se a isso o fato de que era uma economia que se industrializara mantendo enorme dependência com o setor externo.

VI. Café Filho, como ministro, elaborou um plano de ações para a política externa, o PAEG -

Plano de Ação Econômica do Governo - e, mais uma vez, foi utilizada a política de contenção de gastos públicos e de liquidez.

As afirmações I, II e VI são falsas.
Comentário: o conjunto de contradições se manifestou na queda do ritmo do crescimento industrial a partir de 1962, configurando a primeira crise econômica brasileira motivada por entraves internos. Até então, todas as crises tinham tido origem externa. A economia brasileira sofreu uma desaceleração que perdurou até 1967.

As razões enumeradas para a crise econômica são:

• Fim do ciclo de crescimento - só na indústria automobilística a capacidade ociosa chegou a 50%.

• Setor de bens duráveis crescia mais do que a demanda (em função da baixa renda).

• As limitações de financiamentos a longo prazo traziam restrições para a demanda.

• Crise cambial que foi agravada pela forte dependência externa.

• Tratou-se efetivamente de uma crise cíclica, agravada pelo aumento da instabilidade política e das políticas de estabilização recessivas, somando-se a isso o fato de que era uma economia que se industrializara mantendo enorme dependência com o setor externo.

• Roberto Campos, como ministro, elaborou um plano de ações anti-inflacionárias bastante ortodoxas, o PAEG - Plano de Ação Econômica do Governo - e, mais uma vez, foi utilizada a política de contenção de gastos públicos e de liquidez.

O crescimento econômico é condição necessária, mas não suficiente, para gerar desenvolvimento. Observe as afirmações e assinale a alternativa verdadeira pertinente ao desenvolvimento econômico:

I. O desenvolvimento econômico consiste em um processo meramente quantitativo.

II. O desenvolvimento econômico implica mudanças significativas na estrutura produtiva e na própria sociedade, com melhoria nos indicadores sociais e na distribuição de renda.

III. O processo de desenvolvimento econômico engloba mudanças de caráter quantitativo dos níveis do produto nacional, as modificações que alteram a composição do produto e a alocação dos recursos pelos diferentes setores da economia.

IV. O fundamental é que o desenvolvimento econômico só pode ser analisado por meio de indicadores que medem o crescimento do produto.

V. Na avaliação do desenvolvimento econômico não devem ser complementados os índices que representem a qualidade de vida dos indivíduos, por sua subjetividade e nível de incerteza.

As afirmações II e III estão corretas.
Comentário: o processo de desenvolvimento econômico engloba, além das mudanças de caráter quantitativo dos níveis do produto nacional, as modificações que alteram a composição do produto e a alocação dos recursos pelos diferentes setores da economia. O fundamental é que o desenvolvimento econômico não pode ser analisado somente por meio de indicadores que medem o crescimento do produto. Sua análise deve ser complementada pela avaliação de índices que representem, mesmo que de forma incompleta, a qualidade de vida dos indivíduos. Desse modo, devemos ter um conjunto de medidas que reflitam alterações econômicas, sociais, políticas e institucionais. O crescimento econômico é condição necessária, mas não suficiente, para gerar desenvolvimento.

Observe as afirmações sobre crescimento econômico e avalie qual é a única alternativa correta.

I. O crescimento econômico é um elemento fundamental para a geração de uma série de benefícios para a sociedade.

II. O crescimento econômico se caracteriza como um processo sustentado ao longo do tempo, em que os níveis de atividade aumentam continuamente.

III. O crescimento econômico não deve ser confundido com desenvolvimento econômico, porque os frutos da expansão do produto sempre beneficiam a economia geral e o conjunto da população, sem exceção.

IV. O desenvolvimento econômico engloba apenas a expansão do produto real da economia.

As afirmações I e II estão corretas.
Comentário: na verdade, o crescimento econômico é um elemento fundamental para a geração de uma série de benefícios para a sociedade. Ele se caracteriza como um processo sustentado ao longo do tempo, em que os níveis de atividade econômica aumentam continuamente.

Crescimento econômico, portanto, não deve ser confundido com desenvolvimento econômico, porque os frutos da expansão do produto nem sempre beneficiam a economia geral e o conjunto da população.

O crescimento econômico, nesse sentido, nada mais é do que um elemento de um processo mais geral e abrangente: o desenvolvimento econômico, que provoca, ao longo do tempo, mudanças fundamentais em sua organização e instituições.

Trata-se do registro contábil da atividade econômica de um país em um dado período. É uma técnica que se preocupa com a definição e os métodos de quantificação dos principais agregados macroeconômicos, como produto nacional, consumo global, investimentos e exportações, entre outros. Esse conceito refere-se a:

Contabilidade social.
Comentário: contabilidade social é o registro contábil da atividade econômica de um país em um dado período. É uma técnica que se preocupa com a definição e os métodos de quantificação dos principais agregados macroeconômicos, como produto nacional, consumo global, investimentos e exportações, entre outros. Com o surgimento da contabilidade social, os países passam a medir suas rendas e seus desempenhos, além de outros indicadores sociais e econômicos, tornando-se factível a comparação da renda per capita dos diversos países e a consequente classificação destes como ricos ou pobres. Assim, torna-se mais urgente o debate sobre o desenvolvimento econômico e o papel do Estado na sua promoção.

A expansão do produto real da economia durante certo tempo sem implicar mudanças estruturais e distribuição de renda. Essa afirmação é a definição de:

Crescimento econômico.
Comentário: crescimento econômico é a expansão do produto real da economia durante certo tempo sem implicar mudanças estruturais e distribuição de renda.

Avalie as afirmações e escolha a alternativa falsa:

I. A inflação é o aumento contínuo e generalizado no nível geral de preços, assim, todos os bens produzidos na economia terão seus preços elevados durante um período de tempo.

II. Por definição, a inflação é um fenômeno monetário e, à medida que o nível geral de preços se eleva, há uma depreciação no valor real da moeda.

III. A taxa de inflação mede o percentual de aumento no nível médio de preços da economia.

IV. A inflação representa uma média ponderada da elevação dos preços.

V. A inflação representa o aumento de um produto específico, indicando o aumento de preços em apenas um segmento de mercado.

V
Comentário: a taxa de inflação mede o percentual de aumento no nível médio de preços da economia. Ela representa uma média ponderada da elevação dos preços. Assim, os preços de alguns produtos aumentam mais do que os de outros; no entanto, a inflação implica sempre alta generalizada de preços, isto é, há uma tendência para o aumento geral de preços.

Com o surgimento do sistema capitalista de produção e consequente utilização do trabalho assalariado em larga escala, emerge o mercado de trabalho como uma instituição fundamental ao funcionamento da economia. De uma forma bastante ampla, ele pode ser entendido como a compra e a venda de serviços de mão de obra, representando o locus em que trabalhadores e empresários confrontam-se e, dentro de um processo de negociações coletivas que ocorre algumas vezes com a interferência do Estado, determinam conjuntamente os níveis de salário, o nível de emprego, as condições de trabalho e os demais aspectos relativos às relações entre capital e trabalho. Em relação à questão do emprego, é falso afirmar que:

A crise econômica provocada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929, não exerceu influência no paradigma da relação empregador e empregado.

Comentário: com a crise econômica provocada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929, os níveis de investimento e de produção caíram vertiginosamente, gerando uma queda nos níveis de emprego sem precedentes na história, o que acabou por atingir as economias dos países de todo o mundo. Houve uma explosão nos índices de desemprego tanto nos Estados Unidos quanto no resto do mundo, o que provocou uma grande queda da atividade econômica. Para se ter uma ideia da profundidade da crise, entre 1929 e 1933, o produto nacional dos Estados Unidos caiu 30% e a taxa de desemprego chegou a 25% da força de trabalho em 1933. Essa depressão evidenciou a necessidade de analisar mais nitidamente as oscilações do mercado de trabalho.

No século XX, com o término da Segunda Guerra Mundial, houve o predomínio alicerçado nas ideias da "Teoria geral do emprego, da moeda e dos juros", publicada em 1936, que procurava justificar a necessidade de maior participação do governo na economia, quando o mundo enfrentava aquela que, até hoje, é considerada a maior recessão econômica, surgida a partir do final dos anos 1920. Esse consenso foi propugnado por:

John Maynard Keynes.
Comentário: no século XX, com o término da Segunda Guerra Mundial, houve o predomínio do chamado consenso keynesiano, alicerçado nas ideias e nas teorias propugnadas por John Maynard Keynes e expressas na obra "Teoria geral do emprego, da moeda e dos juros", publicada em 1936, que procurava justificar a necessidade de maior participação do governo na economia, quando o mundo enfrentava aquela que, até hoje, é considerada a maior recessão econômica, surgida a partir do final dos anos 1920.

O Comitê de Política Monetária (Copom) foi instituído em 20 de junho de 1996 com o objetivo de estabelecer as diretrizes da política monetária. De acordo com essa premissa, analise as afirmações e verifique qual alternativa corresponde à atribuição do Copom:

Ele define e analisa o relatório de inflação

Comentário: o Comitê de Política Monetária (Copom) foi instituído em 20 de junho de 1996 com o objetivo de estabelecer as diretrizes da política monetária. Ele define e analisa o relatório de inflação. O Copom se reúne para decidir se altera ou não os juros básicos da economia. No primeiro dia, técnicos do Banco Central (BC) expõem o comportamento dos principais indicadores econômicos. No segundo, a diretoria fixa a Selic. A Selic é um sistema eletrônico que permite a atualização diária das posições das instituições financeiras, assegurando maior controle sobre as reservas bancárias. Hoje, a Selic identifica também a taxa de juros que reflete a média de remuneração dos títulos federais negociados com os bancos. A Selic é considerada a taxa básica porque é usada em operações entre bancos e, por isso, tem influência sobre os juros de toda a economia.

O aumento do produto real per capita associado à melhoria dos indicadores sociais, melhoria da distribuição de renda e crescimento do produto industrial no produto total e, ainda, a elevação do produto nacional pode ser alavancada por políticas econômicas que estimulem a atividade produtiva, quando existirem desemprego e capacidade ociosa. Esse texto refere-se à definição de:

Desenvolvimento econômico.
Comentário: desenvolvimento econômico é o aumento do produto real per capita associado à melhoria dos indicadores sociais, melhoria da distribuição de renda e crescimento do produto industrial no produto total. A elevação do produto nacional pode ser alavancada por políticas econômicas que estimulem a atividade produtiva, quando existirem desemprego e capacidade ociosa.

Resumidamente, os principais objetivos da análise macroeconômica concentram-se na determinação do comportamento das seguintes variáveis: nível geral de preços, nível de produto, taxa de salários, nível de emprego, taxa de juros, quantidade de moeda, preço e quantidade de títulos, taxa de câmbio e quantidade de divisas. Faz parte do desafio da política macroeconômica:

Elevar a taxa do nível de emprego.
Comentário: a política macroeconômica possui os seguintes objetivos:

• Elevação do nível de emprego.

• Controle dos processos inflacionários.

• Distribuição de renda mais equitativa.

• Crescimento econômico.

As chamadas políticas de estabilização concentram-se, sobretudo, no emprego e na estabilização de preços, preocupações estas de curto prazo. A distribuição de renda envolve tanto aspectos de curto prazo, relacionados ao nível de emprego e de salários, quanto os de longo prazo. Já as análises acerca do crescimento econômico envolvem questões eminentemente de longo prazo.

Um equilíbrio de mercado é considerado eficiente quando:

Não se consegue, com alterações determinadas por políticas governamentais, melhorar a situação de um agente econômico sem prejudicar a de outros.
Comentário: um equilíbrio de mercado é considerado eficiente quando não se consegue, com alterações determinadas por políticas governamentais, melhorar a situação de um agente econômico sem prejudicar a de outros. Esse conceito não se relaciona, porém, com o de equidade ou justiça social, pois mesmo uma economia que tivesse toda a sua renda destinada a um único agente seria considerada eficiente.

É a disputa entre trabalhadores e empresários por uma participação maior na renda. Os trabalhadores lutam por aumentos de salários e, quando os obtêm, os empresários os repassam para os preços de seus bens e serviços. Como resultado, a inflação não diminui, mesmo se eliminadas suas causas primárias.

Conflito distributivo
Comentário: conflito distributivo é a disputa entre trabalhadores e empresários por uma participação maior na renda. Os trabalhadores lutam por aumentos de salários e, quando os obtêm, os empresários os repassam para os preços de seus bens e serviços. Como resultado, a inflação não diminui, mesmo se eliminadas suas causas primárias.

É a resistência que os preços de uma economia oferecem às políticas de estabilização que atacam as causas primárias da inflação. Essa afirmação representa o conceito de:

Inércia inflacionária.
Comentário: inércia inflacionária é a resistência que os preços de uma economia oferecem às políticas de estabilização que atacam as causas primárias da inflação.

Empresa única e muito grande, com alguns pequenos concorrentes ou poucas empresas grandes e muitas empresas pequenas.

Oligopólio ou monopólio.
Comentário: empresa única e muito grande, com alguns pequenos concorrentes ou poucas empresas grandes e muitas empresas pequenas. As grandes empresas dominam e as pequenas as seguem. O resultado é efetivamente o monopólio ou o oligopólio. A maior parte dos oligopólios (indústria do aço, por exemplo) tem um grande número de pequenas empresas em suas margens.

Há muitas empresas vendendo produtos diferenciados, que não são substitutos próximos entre si, identificados por marcas diferentes, fazendo com que os produtores possam comercializar o seu produto a um preço mais conveniente, maximizando seus lucros. Esse texto define:

Concorrência monopolística
Comentário: em Economia, a concorrência ou competição monopolística é uma estrutura de mercado em que são produzidos bens diferentes, entretanto, com substitutos próximos passíveis de concorrência. Trata-se de uma estrutura de mercado intermediária entre a concorrência perfeita e o monopólio, mas que não se confunde com o oligopólio pelas seguintes características:

Número relativamente grande de empresas com certo poder concorrencial, porém com segmentos de mercados e produtos diferenciados, seja por características físicas, embalagem ou prestação de serviços complementares, como pós-venda.
Margem de manobra para fixação dos preços não é muito ampla, uma vez que existem produtos substitutos no mercado.
Muitos compradores e muitos vendedores.
Consumidores têm as suas preferências definidas e vendedores tentam diferenciar os seus produtos daqueles produzidos pelos seus concorrentes diretos, ou seja, os bens e os serviços são heterogêneos.
Existem barreiras de entrada, como diferenciação do produto, canais de distribuição (quanto mais controlada a distribuição no atacado e no varejo mais difícil é a entrada de novos concorrentes), tecnologias etc.

Essas características acabam atribuindo certo poder sobre o preço de seu produto, apesar do mercado ser competitivo (daí o nome concorrência monopolística). Os produtos podem ser iguais, mas cada empresa vai tentar diferenciar seus artigos. Exemplo: batata frita (sabor queijo, natural; tipos de embalagem, com brindes, com tatuagens; formato ondulado, liso, entre outros). Esse poder é definido, em termos econômicos, como poder de mercado.

No caso de oferta de produtos como o cimento e o alumínio, que são considerados substitutos perfeitos entre si e, portanto, homogêneos; a pequena quantidade de ofertantes caracteriza um:

Oligopólio puro
Comentário: no caso de oferta de produtos como o cimento e o alumínio, que são considerados substitutos perfeitos entre si e, portanto, homogêneos; a pequena quantidade de ofertantes caracteriza um oligopólio puro ou oligopólio perfeito.

O oligopólio é uma situação de mercados concentrados, na qual a produção se concentra em um pequeno número de firmas. No oligopólio também existem barreiras à entrada de potenciais concorrentes, mas as ações entre as empresas não são necessariamente coordenadas. Quando há algum tipo de acerto referente aos preços que serão praticados, o oligopólio caracteriza-se como um cartel.

Monopólio puro ou natural: ocorre quando o mercado, por suas próprias características, exige a instalação de grandes plantas industriais, que operam normalmente com economias de escala e custos unitários bastante baixos, possibilitando à empresa cobrar preços baixos por seu produto, o que acaba praticamente inviabilizando a entrada de novos concorrentes.
Monopólio legal: quando uma lei assegura ao vendedor a primazia no mercado. Exemplo: até 1995, a Petrobrás possuía, por lei, o monopólio das atividades de extração e refino do petróleo.
Monopólio técnico: quando a produção através de uma única empresa é a forma mais barata de fabricação do produto. Exemplo: geração e distribuição de energia elétrica.
Monopólio bilateral: quando um monopsonista (veremos a seguir), na compra de um fator de produção, defronta-se com um monopolista na venda desse fator. Exemplo: a Bombril compra um tipo de aço que apenas a Belgo-Mineira produz. O preço dependerá do poder de barganha de cada um.

O funcionamento básico dos mercados e da interação entre os agentes por meio da conhecida lei da oferta e da procura. É aí que tratamos de mostrar como o sistema se mantém em equilíbrio, direcionado não de forma central, mas pelos preços que assumem os vários bens e serviços, e mostra-se como o mercado, por sua livre atuação, atinge o grau de eficiência econômica.

Às funções: oferta, demanda e preço.

Comentário: A lei da oferta e da procura baseia-se na interação mercadológica entre os agentes, assim, para que o mercado obtenha eficiência econômica será necessário que se estabeleça um equilíbrio, conforme se demonstra no exemplo a seguir:

As funções de oferta e demanda de um produto são dadas por oferta p=20+0,5x e demanda p=160-3x, qual o preço de mercado?

Resposta:

O preço de mercado se dá quando os preços são iguais. Quando a demanda é maior que a oferta, o preço fica acima do preço de mercado e vice-versa.

p=20+0,5x <==> p=160-3x

20+0,5x = 160-3x

3,5x=140

x=40,00

Ocorre quando a produção ou o consumo de um bem afeta, negativa ou positivamente, outros indivíduos, sem que isso seja apontado pelos preços de mercado. Esse evento é chamado de:

Externalidades.
Comentário: entre as imperfeições de mercado, podem ser mencionadas as externalidades: quando a produção ou o consumo de um bem afeta, negativa ou positivamente, outros indivíduos, sem que isso seja apontado pelos preços de mercado. Outro aspecto relaciona-se às falhas de informação, que impedem a adequada tomada de decisões. O poder de monopólio, normalmente, também conduz a preços maiores do que os que seriam praticados caso os produtores pudessem competir mais acentuadamente nos mercados.

Os processos de união desses oligopólios abrangem situações como as caracterizadas por:

Cartel.
Comentário: o oligopólio é uma situação de mercados concentrados, na qual a produção é realizada em um pequeno número de firmas. No oligopólio também existem barreiras à entrada de potenciais concorrentes, mas as ações entre as empresas não são necessariamente coordenadas. Quando há algum tipo de acerto referente aos preços que serão praticados, o oligopólio caracteriza-se como um cartel.

São decorrentes da racionalização das atividades produtivas, com o melhor emprego de tecnologia e de processos de automação e organização do trabalho, sendo obtidas em empresas de grande porte.

Economias de escala.
Comentário: economia de escala é aquela que organiza o processo produtivo de maneira que se alcance a máxima utilização dos fatores produtivos envolvidos no processo, procurando como resultado: baixos custos de produção e o incremento de bens e serviços. Ela ocorre quando a expansão da capacidade de produção de uma empresa ou indústria provoca um aumento na quantidade total produzida sem um aumento proporcional no custo de produção. Como resultado, o custo médio do produto tende a ser menor com o aumento da produção. Mais especificamente, existem economias de escala se, quando se aumentam os fatores produtivos (trabalhadores, máquinas etc.), a produção aumenta mais do que proporcionalmente.

Um equilíbrio de mercado é considerado eficiente quando:

Não se consegue, com alterações determinadas por políticas governamentais, melhorar a situação de um agente econômico sem prejudicar a de outros.

Comentário: um equilíbrio de mercado é considerado eficiente quando não se consegue, com alterações determinadas por políticas governamentais, melhorar a situação de um agente econômico sem prejudicar a de outros. Esse conceito não se relaciona, porém, com o de equidade ou justiça social, pois mesmo uma economia que tivesse toda a sua renda destinada a um único agente seria considerada eficiente.

Vasconcellos e Garcia (2003, p. 31) comentam o propósito da hipótese Coeteris Paribus, o que significa "tudo o mais constante": "[...] torna-se possível o estudo de um determinado mercado selecionando-se apenas as variáveis que influenciam os agentes econômicos [...] neste particular mercado, independentemente de outros fatores, que estão em outros mercados, poderem influenciá-los".

Essa hipótese também é conhecida como:

Coeteris Paribus.
Comentário: Vasconcellos e Garcia (2003, p. 31) comentam o propósito da hipótese Coeteris Paribus, o que significa "tudo o mais constante": "[...] torna-se possível o estudo de um determinado mercado, selecionando-se apenas as variáveis que influenciam os agentes econômicos [...] neste particular mercado, independentemente de outros fatores, que estão em outros mercados, poderem influenciá-los."

Os ensinamentos econômicos são modelos que tentam explicitar a realidade de forma simplificada. A economia, como ciência social passa a ser mais bem compreendida; como lei, ao utilizar-se do Coeteris Paribus.

Ex.: a afirmação: "Se os preços aumentarem, a demanda será reduzida", apenas tem validade universal quando utilizamos a expressão Coeteris Paribus. Se nada alterar, se tudo permanecer constante, todas as vezes que os preços forem majorados, os agentes econômicos reduzirão a quantidade demandada de um determinado bem ou serviço.

Os economistas utilizam a expressão Coeteris Paribus justamente para demonstrar que a economia não é uma ciência exata, cartesiana, imutável.

Vasconcellos e Garcia (2003, p. 31) comentam o propósito da hipótese coeteris paribus, o que significa "tudo o mais constante": "[...] torna-se possível o estudo de um determinado mercado selecionando-se apenas as variáveis que influenciam os agentes econômicos [...] neste particular mercado, independentemente de outros fatores, que estão em outros mercados, poderem influenciá-los." Em qual publicação encontra-se que competência para a execução da política monetária, de crédito, cambial e de comércio exterior é da União?

Na Constituição Federal de 1988
Comentário: como indicam Vasconcellos e Garcia (2003, p. 25): "No texto constitucional de 1988 encontra-se que a competência para a execução da política monetária, de crédito, cambial e de comércio exterior é da União. Esta tem a competência para emitir moeda e para legislar sobre o sistema monetário e de medidas, títulos e garantias de metais; a respeito da política de crédito, de câmbio, de seguros e transferências de valores; e sobre o comércio exterior. Porém, cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, dispor sobre a moeda, seus limites de emissão e montante da dívida mobiliária federal, conforme estipula o art. 48 da Constituição Federal."

Please allow access to your computer’s microphone to use Voice Recording.

Having trouble? Click here for help.

We can’t access your microphone!

Click the icon above to update your browser permissions above and try again

Example:

Reload the page to try again!

Reload

Press Cmd-0 to reset your zoom

Press Ctrl-0 to reset your zoom

It looks like your browser might be zoomed in or out. Your browser needs to be zoomed to a normal size to record audio.

Please upgrade Flash or install Chrome
to use Voice Recording.

For more help, see our troubleshooting page.

Your microphone is muted

For help fixing this issue, see this FAQ.

Star this term

You can study starred terms together

NEW! Voice Recording

Create Set